quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Só uma dose a mais de Atenção!

Bem, é assim que podemos definir o que a Alice precisa a mais de qualquer outra criança, só uma dose a mais de atenção.
 
Sem limitações, o que ela realmente quer é que demos a ela mais atenção e carinho, nada mais que isso, a não ser se contarmos um pouquinho de paciência, afinal ela requer nosso tempo de folga dedicados a ela.
 
Se estamos em casa, ela fica muito manhosa, só quer o papai e a mamãe 100% do tempo, a não ser quando está dormindo... rsrsrsr
 
Muitas vezes paro e penso se o que faço é o suficiente para ajudar no seu desenvolvimento, pois muitas vezes parece que poderia fazer mais, mas também quero respeitar seu tempo, seus limites, e deixar que ela sozinha se arrisque e descubra ate onde seu voo pode chegar.
Assim como podem ter pessoas que me critiquem talvez, por fazer o que faço ou o que não faço, quem sabe até achando que faço de maneira errada ou  não dou bola. Acho que hoje muitos pais querem forçar os seus filhos a fazerem 500 atividades por dia, o que não acho certo.
 
Se voltarmos um pouquinho no tempo, só um pouquinho (risos), quais eram nossas atividades quando criança, que compromissos tínhamos? Nada muito além de ir a aula e fazer as tarefas de casa, e nosso relógio era baseado no sol... Quando o sol estava baixando sabíamos que o dia estava terminando, era hora de banho, estudar e dormir. Aula de manhã, e folga a tarde inteira... Soltar pipa, subir em árvores, jogar futebol, videogame, aaah esse tinha horário e só podia usar se as notas e tarefas estivessem de acordo com as metas.

Éramos livres e felizes, atividades sem cobranças e sem ser uma imposição dos nossos pais, atividades por descontração e prazer. Hoje futebol é pra treinar e ser o melhor da escola, precisa fazer gols para os pais se sentirem orgulhosos, natação é treino duro para bater tempo e ganhar medalhas, a dança é para ser a melhor bailarina da cidade.
 
Prefiro ser "careta" e pensar que futebol é diversão, que nadar é ir tomar banho de rio com os primos e achar que sabíamos nadar um melhor que o outro, e que dançar é sacudir o esqueleto para espantar os males e o estresse.
 
Só quero ser um pai que consiga dar essa dose extra de atenção para Alice fazer tudo isso, e mais um pouco, mas fazer com prazer e no seu tempo, digamos que com liberdade.
Tenho certeza que ela cada dia mais irá surpreender aqueles que sempre duvidaram de sua capacidade, e eu com muita fé sempre tive a certeza que tudo era questão de tempo.
 
 
 

 

 

 
 
Juliano Rafael Krause