quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Ter ou Não Ter: Eis a Questão...

A última consulta da Alice com o Neuropediatra rendeu uma reviravolta em nossos planos: o de termos outro filho.

Desde sempre, os médicos pelos quais passamos foram unânimes: Vocês devem ter mais filhos sim. Claro que sempre indicaram também, a fazermos aconselhamento genético e investigarmos muito a fundo os motivos da Alice ter as características que tem. Tudo para sabermos as probabilidades de outro ou outros filhos terem as mesmas condições dela. Mas sempre nos motivaram, incentivaram a pensarmos em termos mais filhos. Até para o desenvolvimento da Alice poderia ser muito bom ter um irmão (ã). Disseram inclusive, que somos muito novos para pensarmos em termos somente a Alice.
Até a última consulta com o neuropediatra, onde a conversa foi bem outra: -Não tenham outros filhos.

Abre parênteses: Eu e o Ju concordamos que por enquanto é muito cedo para pensarmos nisso, pois entre outros motivos, a Alice ainda nos exige muito, e outra criança na nossa rotina, eu não faço a menor ideia de como administraríamos. Por enquanto essa possibilidade está descartada. Por enquanto. Esse é um assunto com o qual não nos preocupamos muito, pois é algo em que pensaríamos mais pra frente e seria algo natural pra nós, como foi a decisão de termos nossa primeira filha. Fecha parênteses.

E então veio o novo Neurologista procurado por nós para termos mais uma opinião/avaliação da Alice, pois o médico que nos acompanha, sentimos que deixava a desejar no quesito informações. Ele pediu para assim que tivermos o resultado do Exame ele quer ver para saber se será fechado o diagnóstico. Tendo o resultado em mãos, e confirmada alguma síndrome, vem o veredicto: não ter outro filho, pois as chances de vir uma criança com o mesmo quadro pode se repetir. E se o diagnóstico não for fechado, segundo ele, o veredicto é o mesmo: não ter outro filho pois não saberemos se pode acontecer novamente. Pra mim foi como dizer: Não arrisquem, ou tenham de propósito, outra criança com problemas. Pode parecer exagero, mas pra mim foi mais ou menos como a declaração de um certo cientista que recentemente gerou muita polêmica afirmando para as mães que não tenham seus bebês caso os mesmos sejam diagnosticados ainda na gravidez com síndrome de Down.

Confesso que me bateu uma tristeza, pensar em desistir desse sonho realmente foi algo que nunca me passou pela cabeça, mesmo depois da chegada da Alice. Claro que é algo que não faríamos já, mas era um sonho guardadinho, esperando o momento certo de ser "tirado da gaveta".
 
Bom, de qualquer forma, sem o resultado do exame, nenhuma decisão será tomada.
 
E que venha logo esse resultado!

 
Imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário