sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Pequenas Evoluções

Nas últimas semanas, Alice não teve grandes avanços, mas pequenas evoluções que já nos deixaram bem animados e felizes! Confiram:

Oi!?!?
Ela está muito mais atenta, curiosa, responde mais rápido aos estímulos (sons, brinquedos, quando chamamos ela, etc), está fixando bem o olhar quando conversamos com ela.

Bebê sapinho
Alice ainda está "enrastinhando" (uma mistura de engatinhar com arrastar) mas cada vez mais rápido, fica de apoio nos joelhos e dá pulinhos pra frente (como um sapinho mesmo) ao invés de alternar as pernas e braços, mas achei uma fofura esse jeitinho que ela encontrou de se mover. Ela chega onde quer, sobe nas coisas, se apoia, tudo pra pegar o objeto que ela cismou em querer alcançar.

Quase quase
Está quase conseguindo se sentar sozinha, falta muito pouco, apenas um pequeno impulso final para conseguir. Se apoia nos bracinhos, segura no que tiver por perto, e está insistindo cada vez mais. Lembrando que ela já fica sentada sozinha sem apoio, mas não consegue passar ainda da posição deitada para sentada, e é isso que ela anda aperfeiçoando.

Xô preguiça!
Fica em pé com apoio (mas ainda bem desequilibrada), e está mais animada pra andar quando seguramos ela pelos bracinhos. Antes não queria. Agora, meio atrapalhada ainda, não sabe se vai pra frente ou pro lado, mas ela está curtindo e se diverte.

Olha só mamãe!
E o mais legal de tudo: consegue se levantar sozinha no berço quando está sentadinha, se agarra no protetor, nas grades, e em tudo o que puder ajudá-la. É muito bom ver a felicidade dela, fica toda faceirinha quando consegue. Mas ainda se joga muito pra trás e às vezes acaba se machucando.

Ele não é tão mau assim
No andador também está mais ágil, fica bastante em pé, e está mais entusiasmada pra andar pra frente, principalmente se ela quer sair do andador e ganhar um colinho, aí ela faz qualquer coisa hehehe...

Sem contar que começou a se jogar no colo das pessoas, mesmo desconhecidas ou que temos pouco contato. E todos se derretem, pois ela dá uns abraços muito apertados quando ganha colo. Já sabe como conquistar as pessoas, essa minha filha, rs.

O desenvolvimento dela atualmente, é comparável ao de um bebê de 8 ou 9 meses. Agora que ela está mais animadinha, acreditamos que vai responder melhor a fisioterapia, hidro e aos estímulos que fazemos com ela em casa.

A Microcefalia é um mundo obscuro e desconhecido, sem previsões, não tem como sabermos quando e nem se ela vai fazer tudo o que as outras crianças fazem (esse é o meu sonho e meu objetivo, que ela consiga sim, fazer tudo). Se cada criança tem seu ritmo, as que possuem Microcefalia também tem e além disso tem que ser muito mais estimuladas. Eu não me importo se ela demorar mais pra realizar tudo. Mas quero sim, que ela consiga superar cada etapa. Não posso negar que eu sonho em ver ela andando, correndo, falando, brincando, se divertindo, apenas uma criança vivendo e aproveitando sua infância.

Sei que gerar muitas expectativas pode ser frustrante, mas tento me manter otimista e acreditar no potencial dela sempre! Tenho certeza que com tudo o que fazemos, com a ajuda de todos os profissionais que estão se dedicando a ela, e claro, se for a vontade de Deus, teremos muitas pequenas conquistas para comemorar. É muito emocionante ver ela se superando, mesmo que seja nos pequenos movimentos. Sinto muito orgulho dela, e fico muito feliz. Abaixo um pouquinho do que ela andou treinando nesses últimos dias:


video

Te amo muito doçura, estaremos sempre do seu lado pra te incentivar, ajudar, comemorar cada momento. Você é muito especial para nós.

2 comentários:

  1. Que coisinha mais linda !!! Como ja te falei criamos muita expectativa e principalmente ficamos comparando nossos filos com outras crianças, mas é extremamente errado, cada um tem seu tempo, seu amadurecimento e temos que respeitar, porque também tivemos o nosso, não é mesmo? Meu filho Matheus falou mesmo praticamente com 3 anos de idade e agora fala pelas tampas...kkk o Vitor esta saindo das fraldas agora com 3 anos e 5 meses e nem não teve nenhuma "perda" em relação às outras crianças... se igualam naturalmente... Viva as Diferenças!!!! Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Cy eu tenho que me policiar mais em relação as comparações. Isso acaba gerando expectativas que refletem nossa ansiedade para os filhos. Um dia vou aprender a controlar isso. Beijos!!!!

      Excluir